sábado, 9 de dezembro de 2017

Imaculada e Santa

No dia 8 de dezembro de 1854, na Basílica de São Pedro, o Papa Pio IX, declarou solelemente ex cathedra a definição do dogma da Imaculada Conceição de Maria: " Declaramos, decretamos e definimos que a doutrina segundo a qual, por uma graça e um especial privilégio de Deus Todo Poderoso e em virtude dos méritos de Jesus Cristo, salvador do gênero humano, a bem-aventurada Virgem Maria foi preservada de toda a mancha do pecado original no primeiro instante de sua conceição, foi revelada por Deus e deve, por conseguinte, ser acreditada firme e inviolavelmente por todos os fiéis”.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Aparecida 300 anos



POESIA SEM MOLDURA
Tantos pontos...
Rosários de nós
Alegrias e angústias
Intermedeia
Desata
Une
Aparecida
Da Conceição Senhora, Viva!

Imagem: Nossa Senhora Aparecida bordada no linho artesanal por ML
Desenho a lápis de Bianca

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Nossa Senhora Rainha




A festividade de Nossa Senhora Rainha, em 22 de agosto, foi instituída por Pio XII, em 1955. Colocando a realeza de Maria oito dias após a Assunção, o Papa quis pôr em relevo a estreita ligação entre a Assunção e a Glorificação de Nossa Senhora.

Maria, participando da gloriosa realeza universal de Cristo, é proposta como modelo e sinal de esperança para os cristãos, que, já revestidos da dignidade real do Senhor no Batismo, são chamados a reinar eternamente com ele.

Antônio Lúcio da Silva Lima (org), em "Festas Marianas - seguindo os passos de Maria".
Foto e vídeo: Coroação de Nossa Senhora de Fátima na Igreja Imaculada Conceição Recreio, em 22/8/17

sábado, 24 de junho de 2017

Imaculada Conceição de Maria

Neste vídeo, em 1305, na Universidade de Paris,  o Beato João Duns Escoto  defende a Imaculada Conceição de Maria.


quarta-feira, 31 de maio de 2017

Tu, por Deus entre todas escolhida




Chegados ao fim de maio, agradecemos as graças recebidas por intercessão da Virgem Maria, rogamos pela paz do mundo e entregamos-lhe nossas rosas. Certamente têm espinhos, muitos, mas, e, o cheiro, a beleza delas?

Com nossas preces, partilhamos um soneto do poeta Bocage:

"Tu, por Deus entre todas escolhida,
Virgem das virgens, tu, que do assanhado
Tartáreo monstro com teu pé sagrado
Esmagaste a cabeça entumecida;

Doce abrigo, santíssima guarida
De quem te busca em lágrimas banhado,
Corrente com que as nódoas do pecado
Lava uma alma, que geme arrependida:

Virgem, d'estrelas nítida c´roada,
Do Espírito, do Pai, do Filho eterno
Mãe, filha, esposa, e mais que tudo amada:

Valha-me o teu poder, e amor materno;
Guia este cego, arranca-me da estrada,
Que vai parar no tenebroso inferno."

Manuel Maria Barbosa de BOCAGE
Foto de mlc

quarta-feira, 17 de maio de 2017

A azinheira de Fátima e o Rosário



"É sobre uma "Quercus ilex", comummente denominada azinheira, que a Virgem Maria aparece, em 1917, aos pastorinhos de Fátima. O carvalho, que como a azinheira é uma espécie do género "quercus", era para os gregos a árvore sagrada de Júpiter. Por causa da sua longevidade e robustez, foi considerada desde sempre parábola da eternidade. Ao contrário, a azinheira associou-se à desventura: as suas copas sombrias com as ramagens sempre verdes tornavam os bosques impenetráveis, e daí a reputação de planta infausta.

Não foi assim para o cristianismo, que, ao contrário, concede à azinheira um papel sem precedentes. Conta-se como, após a condenação à morte de Cristo, todas as árvores se recusaram oferecer a sua madeira para fabricar a cruz. Sob os golpes dos lenhadores e marceneiros cada pedaço de madeira desfazia-se em bocados. Só a azinheira não se rebelou porque compreendeu que Cristo, com a cruz, redimiria o mundo e salvaria também a criação da caducidade da morte. Não foi por acaso que o Beato Egídio, terceiro companheiro de S. Francisco de Assis, via aparecer o Salvador junto a uma azinheira, símbolo, precisamente, do crucifixo.

 Desta maneira compreende-se melhor porque é que a Virgem Maria aparece aos três pastorinhos de Fátima sobre uma azinheira.

O anúncio da Senhora situa-se dentro da grande obra de salvação que Cristo já cumpre inteiramente na cruz, mas que deve atuar na história através do corpo místico da Igreja. Apesar da homonímia entre a Fátima portuguesa e a única filha de Maomé, os símbolos de que se rodeia a Virgem durante a aparição designam-na claramente como uma aparição cristã. Entre as árvores citadas pelo Corão, com efeito, não se encontra elencada nem a azinheira nem o mais genérico carvalho, enquanto que são numerosas as obras de arte que retratam Maria sobre ou junto àquela árvore. Entre as mais famosas está a Sagrada Família junto do carvalho, obra de Rafael em que S. José, pensativo, se apoia sobre as ruínas de um templo pagão, e a Senhora se senta diante de um carvalho, com S. João Batista, então criança, que apresenta a Jesus a faixa "eis o Cordeiro de Deus", indicando assim o destino que haveria de abraçar o Messias.

 Mas a imagem mais sugestiva que liga, com grande antecipação, as aparições de Fátima à arte é a "Senhora da árvore seca", obra de Petrus Christus, artista holandês do século XV. Nela Maria surge sobre uma árvore de espinhos, evocando a coroação aquando da crucificação, tendo nos braços o Cristo Menino já revestido com a veste branca da ressurreição. Jesus apresenta à Mãe o fruto da sua paixão, que reabrirá à humanidade o jardim onde se enraíza a árvore da vida.

 Na imagem observam-se 15 letras suspensas dos ramos secos da árvore, referência às 150 Avé-Marias que compõem o Rosário. A difusão do Rosário na Europa data de 1475, enquanto que a pintura de Petrus Christus é de 1465. Com 10 anos de antecipação o artista propõe aos fiéis essa arma de salvação que também a Virgem, em Fátima, cinco séculos mais tarde, indicará como instrumento para vencer o drama da descristianização do mundo contemporâneo."

Texto retirado de: Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (http://snpcultura.org/a_azinheira_de_fatima_e_o_rosario.html), em 17/1/2017

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Mestra do Anúncio, Profecia do Amor



Em 13 de maio de 2017 deu-se a primeira aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos Lúcia , Jacinto e Francisco, em Fátima, Portugal.

Cem anos se passaram e entrar no Santuário de Fátima traz uma sensação quimérica de acolhimento e de paz. Peregrinos de todo o mundo cada vez mais acorrem àquele lugar. É a fé que não se mede...

Das comemorações deste ano faz parte a canonização de Jacinta e Francisco pelo Papa Francisco que estará em Fátima para a peregrinação.

O hino do centenário, "Mestra do Anúncio, Profecia do Amor" é de autoria de Marco Daniel Duarte e José Joaquim Ribeiro.




Refrão: 
Ave o clemens, Ave o pia!
Salve Regina Rosarii Fatimae
Ave o clemens, Ave o pia!
Ave  o dulcis Virgo Maria.

1. Ouvindo o arauto da mensagem
Ó Terra eleita que o Espírito lavra,
Também dizemos: ó cheia de graça,
Sois serva e mensageira da Palavra
Saudada pro todas as gerações
Feliz entre as mulheres sois, Maria!
Bendito o Anjo que Vos precedeu,
Custódia, como vós, da Eucaristia.

2. Os pastores e os magos acorreram,
Louvando tão alta maternidade.
Com eles, procuramos Jesus Cristo
Que do Céu trazeis à humanidade.
A palavra de Jesus, Verbo Eterno,
Guardáveis toda em Vosso Coração,
Refúgio triunfante para os homens
Que fazem penitência e oração.

3. No templo apresentastes Vosso Filho
E o anúncio da espada ecoou:
Dor que jorra da Cruz do Homem-Deus,
Dor que sobre a azinheira ressoou.
Ensinando a excelsa Sabedoria,
Encontrastes Jesus entre os doutores;
Mensagem que ensinais à multidão,
Pedindo a conversão dos pecadores.

4. Felizes seios, benditas entranhas,
Que geraram Jesus, o Salvador!
Alimentam a Igreja e o mundo,
Pregando o Evangelho do Amor.
Solícita nas núpcias dos esposos:
“Fazei tudo o que Ele Vos disser”;
Pregão que sai do alto da azinheira
Por Vossos lábios, ó Nova Mulher.

5. Dolorosa, de pé, junto ao Madeiro,
Gerastes, no Calvário, a humanidade;
As dores desse parto Vos trouxeram
Ao mundo que tem ânsia da verdade.
A alegria da gloriosa Páscoa
Sentistes, Virgem pura, ó Mãe Santa!
Vitória sobre o mal Vós nos pedis
– Eis a mensagem que Fátima canta.

6. No meio da Igreja que nascia
Recebestes o Espírito dos céus;
Viestes missionária à nossa terra,
Proclamando as maravilhas de Deus.
Junto com os discípulos de Cristo,
Oráveis na assembleia dos cristãos
E continuais orando pelo mundo,
A Deus levantais, ternas, Vossas mãos.

7. Gozando das primícias do Reino,
Habitais a Jerusalém do Céu
Donde viestes para nos falar,
‘stendendo sobre nós benigno véu.
À direita de Cristo, sois rainha
Ornada de ouro fino de esplendor;
P’ra lá nos qu’reis levar, ó Mãe bendita!
Àquela luz que é Deus, o Deus do Amor.

8. Vós sois, Senhora, a Mãe do Rosário,
Sois a Mãe da Alegria e da Luz,
A Mãe das Dores e a Mãe da Glória,
Mãe do Messias-Cristo que é Jesus.
Todos os dias seguimos, Senhora,
Vossa admirável recomendação:
Contemplar Jesus Cristo no Rosário
Para alcançar a eterna Salvação.

9. A Deus queremos nós oferecer-nos
E os sofrimentos todos suportar;
Orando pelo vigário de Cristo,
A vida plena ansiamos alcançar.
Reparando as vidas do pecado,
Suplicando, chorando nossas dores,
Dizemos: “Jesus, é por Vosso amor
E pela conversão dos pecadores”.

10. Visitastes o Povo que nasceu
Das águas do batismo redentor,
Pedindo penitência e oração,
Pedindo conversão ao Deus-Amor.
Meditando de Cristo os mistérios,
Proclamando a mensagem que Deus faz
– É o mandato que trazeis, Senhora,
Para que o mundo inteiro alcance a paz.

11. Senhora do Rosário, ao Vosso nome,
Erguemos a capela, em oração;
Unidos à Igreja Universal,
Nela louvamos Cristo, Novo Adão.
Nela louvamos Cristo, nossa luz,
Com a chama da fé em nossa mão.
E as mãos alvas que alevantamos
São símbolo da paz e do perdão.

12. Rezamos pela paz no mundo inteiro
Em Fátima, no Vosso Santuário,
Que é terra da paz, Cova da Iria,
Ó Virgem Mãe, Senhora do Rosário!
O Vosso Coração Imaculado
Doce refúgio é do pecador:
Triunfo para glória da Trindade,
Cantando a Civilização do Amor.

13. Visitando os pequenos, as crianças,
Mostrais desígnios de misericórdia.
Erguendo a Vossa cátedra, Senhora,
Chamais o ser humano à concórdia.
Ensinando as verdades eternas
e a arte de orar, crer e amar,
Em Fátima, sois mestra, sois doutora,
Sois de Deus profecia, em Vosso altar. 

Fonte: http://www.fatima.pt/pt/pages/hino-do-centenario

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós que recorremos a vós!